Você está aqui: Página Inicial > Notícias > W3C Brasil reconhece iniciativas e pessoas que promovem uma Web inclusiva

Notícias

W3C Brasil reconhece iniciativas e pessoas que promovem uma Web inclusiva

Todos@Web premiou projetos que contribuem com o acesso à Web por pessoas com deficiência

publicado: 05/12/2014 03h00 última modificação: 24/06/2016 08h59

Pessoas e instituições que se dedicam a promover uma Web efetivamente inclusiva tiveram seus trabalhos reconhecidos na noite da última quinta-feira (4), na 3ª edição do Prêmio Nacional de Acessibilidade na Web – Todos@Web (http://premio.w3c.br/). O prêmio tem o objetivo de conscientizar desenvolvedores e homenagear ações em favor do acesso à Web por pessoas com deficiência. A iniciativa é do escritório brasileiro do World Wide Web Consortium (W3C), instalado na sede do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) e do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).

A cerimônia de entrega do Todos@Web aconteceu no auditório da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, na Barra Funda, em São Paulo, numa data simbólica, um dia após o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, comemorado pela Organização das Nações Unidas em 3 de dezembro. De acordo com o Censo do IBGE, aproximadamente 45 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência, o que representa 24% da população do País.

Durante o discurso na cerimônia de premiação, Vagner Diniz, gerente do W3C Brasil, reforçou que "não só a Internet, mas a Web tem que ser para todos indistintamente, sem discriminação. A Web não pode ter barreiras de acesso que excluam qualquer pessoa”. Para Vagner, o encanto do Todos@Web está no fato de que as pessoas que participam do prêmio querem disseminar a cultura de acessibilidade na Web. “Esse desejo muitas vezes é maior do que ganhar o próprio prêmio", destaca.

Durante toda a quinta-feira (4), os representantes dos projetos finalistas (http://premio.w3c.br/finalistas/) divulgados no último dia 13 de novembro, tiveram a oportunidade de apresentar seus trabalhos para a comissão julgadora, formada por especialistas em acessibilidade, usabilidade, desenvolvimento Web, representantes de instituições de auxílio a pessoas com deficiência, representantes do Governo Federal, Estadual e Municipal e pessoas com deficiência. Conheça os primeiros colocados de cada uma das categorias do prêmio:

Pessoas / Instituições

Projeto de Acessibilidade Virtual do IFRS (http://premio.w3c.br/finalistas/ifrs.html)
Entre os trabalhos já desenvolvidos e em desenvolvimento pelo Núcleo de Acessibilidade do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) estão a produção de tecnologias assistivas de baixo custo, cursos e capacitações, testes de acessibilidade virtual, publicações, entre outros.

Aplicativos e Tecnologias assistivas

WebHelpDyslexia (http://premio.w3c.br/finalistas/webhelpdyslexia.html)
Um sistema de apoio à leitura em sites Web para usuários com dislexia, o WebHelpDyslexia possui funcionalidades como uma régua de leitura para auxiliar na concentração, personalização da fonte, alteração de cores e dicionário com sinônimos de palavras.

Projetos Web

Governamentais

Cursos eMAG (http://emag.governoeletronico.gov.br/curso/)
O projeto promove a capacitação de profissionais no desenvolvimento, manutenção, adequação e alimentação de portais e sites eletrônicos da administração pública, levando em consideração as orientações do Modelo de Acessibilidade de Governo Eletrônico - eMAG.

Serviços / E-commerce
Saúde Acessível (http://www.saudeacessivel.com.br/)
Por meio de recursos de geolocalização, o site indica quais postos de saúde acessíveis estão próximos ao local onde o usuário está realizando a busca.

Institucionais / Entretenimento / Cultura / Educação / Blogs
SELUR - Site acessível (http://www.selur.com.br/acessibilidade/)
O site do Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo (SELUR) foi planejado e construído seguindo os padrões internacionais de acessibilidade. A preocupação com a inclusão vai desde a adoção de uma linguagem objetiva ao acesso via teclado e recursos especiais para facilitar a navegação.

Conheça outras pessoas e projetos premiados pelo Todos@Web: http://premio.w3c.br/.

Prêmio MAQ e Menção Honrosa
O site Saúde Acessível (http://www.saudeacessivel.com.br/), que indica os postos de saúde acessíveis próximos do ponto de busca, foi consagrado como o grande vencedor do melhor projeto Web, também conhecido como Prêmio MAQ de Acessibilidade na Web - uma homenagem a Marco Antonio de Queiroz, defensor do direito ao acesso das pessoas com deficiência e criador do site Bengala Legal (http://www.bengalalegal.com/). O Todos@Web contou ainda com uma menção honrosa ao site Legenda Sonora (http://legendasonora.com.br/), que faz áudio-descrições de vídeos para deficientes visuais. A cerimônia de premiação foi encerrada com a apresentação do balé de cegos da Associação Fernanda Bianchini.

Princípios de inclusão do W3C
O W3C desenvolve padrões de acessibilidade há mais de 20 anos com a missão de conduzir a Web ao seu potencial máximo. Uma de suas premissas básicas é garantir "uma Web para todos, em qualquer dispositivo, em qualquer lugar, segura e confiável". No Brasil, além do prêmio Todos@Web, o escritório brasileiro do W3C coordena o Grupo de Trabalho de Acessibilidade na Web e realiza cursos sobre o tema, entre outras ações.

Criado em março de 2012, o GT Acessibilidade na Web se reúne periodicamente para planejar iniciativas no Brasil e hoje já conta com mais de 100 participantes, dentre eles, especialistas em acessibilidade e pessoas com deficiências. Entre as atividades do grupo, está a produção da Cartilha de Acessibilidade na Web (http://www.w3c.br/Materiais/PublicacoesW3C) e a Tradução autorizada pelo W3C das Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG 2.0) (http://www.w3.org/Translations/WCAG20-pt-br/).

Sobre o escritório brasileiro do W3C
Por deliberação do CGI.br, o NIC.br agrega as atividades do escritório do W3C no Brasil - o primeiro na América do Sul. O W3C é um consórcio internacional que tem como missão conduzir a Web ao seu potencial máximo, criando padrões e diretrizes que garantam sua evolução permanente. Mais de 80 padrões foram já publicados, entre eles HTML, XML, XHTML e CSS. O W3C no Brasil reforça os objetivos globais de uma Web para todos, em qualquer dispositivo, baseada no conhecimento, com segurança e responsabilidade. Mais informações em: http://www.w3c.br/.

Sobre o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR – NIC.br
O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR — NIC.br (http://www.nic.br/) é uma entidade civil, sem fins lucrativos, que implementa as decisões e projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil. São atividades permanentes do NIC.br coordenar o registro de nomes de domínio — Registro.br (http://www.registro.br/), estudar, responder e tratar incidentes de segurança no Brasil — CERT.br (http://www.cert.br/), estudar e pesquisar tecnologias de redes e operações — CEPTRO.br (http://www.ceptro.br/), produzir indicadores sobre as tecnologias da informação e da comunicação — CETIC.br (http://www.cetic.br/) e abrigar o escritório do W3C no Brasil (http://www.w3c.br/).

Sobre o Comitê Gestor da Internet no Brasil – CGI.br
O Comitê Gestor da Internet no Brasil, responsável por estabelecer diretrizes estratégicas relacionadas ao uso e desenvolvimento da Internet no Brasil, coordena e integra todas as iniciativas de serviços Internet no País, promovendo a qualidade técnica, a inovação e a disseminação dos serviços ofertados. Com base nos princípios de multilateralidade, transparência e democracia, o CGI.br representa um modelo de governança multissetorial da Internet com efetiva participação de todos os setores da sociedade nas suas decisões. Uma de suas formulações são os 10 Princípios para a Governança e Uso da Internet (http://www.cgi.br/principios). Mais informações em http://www.cgi.br/.

Fonte: http://www.nic.br.