Você está aqui: Página Inicial > Notícias > W3C Brasil abre inscrições para a 3ª edição do Prêmio Nacional de Acessibilidade na Web

Notícias

W3C Brasil abre inscrições para a 3ª edição do Prêmio Nacional de Acessibilidade na Web

Todos@Web reconhece iniciativas em favor da quebra de barreiras de acesso a web para pessoas com deficiência

publicado: 04/08/2014 01h00 última modificação: 24/06/2016 09h00

Se você promove um trabalho de fomento e incentivo à acessibilidade na web no Brasil, ou fez um website que não cria barreiras de acesso para pessoas com deficiência, ou desenvolveu uma aplicação que torna possível com que pessoas com deficiência naveguem na web, é hora de se inscrever na 3ª edição do Prêmio Nacional de Acessibilidade na Web – Todos@Web. Promovido pelo escritório brasileiro do World Wide Web Consortium (W3C), instalado na sede do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) e do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), o prêmio busca conscientizar desenvolvedores e homenagear ações em prol do acesso de pessoas com deficiências na web.

O Brasil possui hoje mais de 40 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, segundo o censo do IBGE de 2010. Elas potencialmente enfrentam dificuldades para navegar em sites web, uma vez que a maioria destes considera em seu desenvolvimento somente pessoas que não apresentam deficiências físicas, portanto, reforçam a exclusão social.

"O objetivo do prêmio é fomentar e conscientizar sobre a importância da acessibilidade na web e o desenvolvimento de sites que não criam barreiras para pessoas com deficiências temporárias ou permanentes", ressalta Reinaldo Ferraz, especialista em desenvolvimento web do W3C Brasil. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 30 de setembro, através do site http://premio.w3c.br/inscricoes/.

O primeiro passo para participar do Todos@Web é preencher o formulário disponível no site. Um grupo formado por especialistas em acessibilidade, usabilidade, desenvolvimento web, representantes de instituições de auxílio a pessoas com deficiência, representantes de governos Federal, Estadual e Municipal e pessoas com deficiência avaliarão todas as inscrições válidas antes de selecionar os finalistas. Aqueles que apresentarem os melhores trabalhos serão notificados pelos jurados para que possam promover eventuais melhorias em seus projetos. Na cerimônia de premiação, prevista para o dia 4 de dezembro em São Paulo – na semana do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência –, os finalistas apresentarão os trabalhos para os jurados, que escolherão os vencedores.

"Nos dois primeiros anos do Todos@Web, a categoria pessoas e instituições premiou pessoas que se destacaram na divulgação, fomento e participaram ativamente da conscientização da acessibilidade na web. Já a categoria de projetos web recebeu o maior número de inscrições, o que demonstra o interesse das pessoas de tornar pública essa preocupação com acessibilidade. No grupo de aplicativos e tecnologias assistidas, recebemos projetos muito criativos e inovadores que melhoram o acesso de pessoas com deficiência", comenta Reinaldo.

Qualquer brasileiro com mais de 18 anos de idade, residente no Brasil, com situação regular e que possua projetos digitais voltados para a acessibilidade na web podem se inscrever. Os detalhes sobre a premiação e os critérios de seleção estão disponíveis no regulamento http://premio.w3c.br/regulamento/.

Princípios de inclusão do W3C
O W3C desenvolve padrões de acessibilidade há mais de 10 anos com a missão de conduzir a web ao seu potencial máximo. Entre as suas premissas básicas está garantir "uma web para todos, em qualquer dispositivo, em qualquer lugar, segura e confiável". O W3C defende o uso de padrões internacionais livres e abertos para a web que facilitam o acesso à informação por pessoas com deficiência. Para garantir a disseminação desses padrões, o W3C promove cursos sobre o tema e lançou o 1º Fascículo da Cartilha de Acessibilidade na web, disponível em http://www.w3c.br/Materiais/PublicacoesW3C.

Sobre o escritório brasileiro do W3C
Por deliberação do CGI.br, o NIC.br agrega as atividades do escritório do W3C no Brasil - o primeiro na América do Sul. O W3C é um consórcio internacional que tem como missão conduzir a web ao seu potencial máximo, criando padrões e diretrizes que garantam sua evolução permanente. Mais de 80 padrões foram já publicados, entre eles HTML, XML, XHTML e CSS. O W3C no Brasil reforça os objetivos globais de uma web para todos, em qualquer dispositivo, baseada no conhecimento, com segurança e responsabilidade. Mais informações em: http://www.w3c.br/.

Sobre o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR – NIC.br
O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR — NIC.br (http://www.nic.br/) é uma entidade civil, sem fins lucrativos, que implementa as decisões e projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil. São atividades permanentes do NIC.br coordenar o registro de nomes de domínio — Registro.br (http://www.registro.br/), estudar, responder e tratar incidentes de segurança no Brasil — CERT.br (http://www.cert.br/), estudar e pesquisar tecnologias de redes e operações — CEPTRO.br (http://www.ceptro.br/), produzir indicadores sobre as tecnologias da informação e da comunicação — CETIC.br (http://www.cetic.br/) e abrigar o escritório do W3C no Brasil (http://www.w3c.br/).

Sobre o Comitê Gestor da Internet no Brasil – CGI.br
O Comitê Gestor da Internet no Brasil, responsável por estabelecer diretrizes estratégicas relacionadas ao uso e desenvolvimento da Internet no Brasil, coordena e integra todas as iniciativas de serviços Internet no País, promovendo a qualidade técnica, a inovação e a disseminação dos serviços ofertados. Com base nos princípios do multissetorialismo e transparência, o CGI.br representa um modelo de governança da Internet democrático, elogiado internacionalmente, em que todos os setores da sociedade são partícipes de forma equânime de suas decisões. Uma de suas formulações são os 10 Princípios para a Governança e Uso da Internet (http://www.cgi.br/principios). Mais informações em http://www.cgi.br/.

Fonte: http://www.nic.br.