Você está aqui: Página Inicial > Notícias > VI Fórum de IPv6 analisa avanços da adoção do protocolo

Notícias

VI Fórum de IPv6 analisa avanços da adoção do protocolo

Estatísticas dos provedores de serviços e provedores de acesso foram apresentadas durante o evento

publicado: 10/12/2015 03h00 última modificação: 22/07/2016 13h20

Em apenas um ano, a proporção de usuários brasileiros que utilizam IPv6 saltou de 0,2% para 8,6%. Os avanços da implementação do protocolo no Brasil, assim como os planos para ampliar essa adoção, foram analisados e debatidos nessa quarta-feira (9) por empresas, provedores de acesso e conteúdo, fabricantes de equipamentos, academia e Governo durante o VI Fórum Brasileiro de IPv6, realizado pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Em sua sexta edição, o evento faz parte da V Semana da Infraestrutura da Internet no Brasil, que segue até esta sexta-feira (11) com as Reuniões GTER40/GTS26.

“Definitivamente estamos no caminho certo. Os obstáculos iniciais da implementação do protocolo no Brasil foram superados. O IPv6 é fundamental para o futuro da Internet, para a Internet das Coisas, e para voltarmos à ideia inicial da Internet fim a fim”, afirmou Demi Getschko, diretor-presidente do NIC.br, na abertura do evento. A diminuição gradual de alocação de IPv4 também foi comentada por Demi, que ressaltou que o esgotamento do protocolo e necessidade de adoção do IPv6 é discutida desde 1998.

A situação dos recursos de numeração IPv4 e IPv6 foi apresentada por Ricardo Patara. Ao detalhar as regras da política de terminação suave do LACNIC, o gerente de recursos de numeração do NIC.br lembrou que uma mudança na Fase 2 possibilitou a ampliação do estoque em mais dois milhões de IPs. “O IPv4 teve a sua vida, sua importância, mas como a Internet vai continuar? Com o IPv6”, afirmou. No Brasil, mais de 85% dos detentores de Sistemas Autônomos (ASNs) possuem alocação IPv6. E nos últimos seis meses, a proporção de usuários utilizando IPv6 passou de 1,6% para 7,5 %.As estatísticas foram divulgadas por Patara, que convidou a comunidade técnica a participar do debate sobre regras de distribuição dos Recursos Internet por meio da lista de discussão do LACNIC.

Único sistema de medição para usuários finais a testar IPv6, o SIMET ganhou um novo sítio, apresentado por Fabrício Tamusiunas, gerente de projetos do NIC.br, que está à frente do sistema de medição. As funcionalidades disponíveis via Web, os recursos do Monitor Banda Larga, do SIMET Box, e do aplicativo SIMET Mobile foram detalhados por Tamusiunas reforçando que os testes são independentes. Além de verificar como está a qualidade da rede IPv6, o usuário também pode compará-la com IPv4. Todos os testes são realizados dentro dos 25 pontos de troca de tráfego do IX.br, todos com IPv6 já configurado.

Ainda durante a manhã, o painel “IPv6 nos provedores de serviços” teve a participação de Gustavo Ramos (UOL), Flávio Amaral (Netflix), Marcus Cesário (Globo) e Eric Val (Fasternet), que aproveitaram a oportunidade para apresentar estatísticas sobre o uso de IPv6. Com 70% da rede em IPv6, a Fasternet observou que 35% do tráfego do novo protocolo vem do Google e 9% da Netflix. Já a Globo.com, que utiliza IPv6 nos seus principais portais, registrou uma média de tráfego de 5%. No UOL, essa proporção é 3%, enquanto 6% do tráfego mundial da Netflix utiliza IPv6.

No Governo Federal, 84,13% dos órgãos ainda não aderiram às etapas iniciais do plano de implementação do IPv6, de acordo com Silvio Lima, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Treinamentos de servidores em parceria com o NIC.br e aderência ao plano para liberar recursos contingenciados são medidas previstas para reforçar a implementação do protocolo. Na esfera das universidades, Carlos Coletti (UNESP) explicou o uso do e-mail com IPv6, enquanto a utilização do livro Laboratório de IPv6 em sala de aula foi abordada pela professora Silvia Albuquerque (CEFET-MG) e por Eduardo Morales, da equipe do NIC.br responsável pela publicação.

Provedores de acesso

O status de adoção dos provedores de acesso também foi discutido em painel no VI Fórum IPv6. Roney Medeiros (NET), Fábio Scartoni (Vivo), Aluísio da Silva (Algar Telecom), Carlos Figueira e Altair Santana (TIM) apresentaram o histórico, as estratégias de ativações, as dificuldades e desafios encontrados, o uso da solução de transição CG-NAT e os serviços disponíveis, entre outras questões.

Com 16% do tráfego IPv6 para provedores de conteúdo, pico de 140Gbps, e 44% de assinantes residenciais ativos, a GVT está entre as mais avançadas na implementação do protocolo. A Vivo possui 300 mil clientes conectados e 84 empresas, 3% de tráfego IPv6 para provedores de conteúdo, com pico de 48Gbps. A TIM, por sua vez, tem 1% dos clientes corporativos ativos, tráfego total inferior a 1%, e serviços residenciais e móveis prontos para operar. Hoje, o tráfego IPv6 da NET é de, em média, 200 Gbps, com 2,5 milhões de clientes utilizando o novo protocolo. Por fim, a Algar atende 30% dos usuários corporativos com IPv6 e possui banda larga fixa e móvel compatível.

"Há algum anos, o grande problema estava no provimento de trânsito e fornecimento de IPv6 para o usuário final. Ainda temos muito a avançar, mas essa questão evoluiu bastante. O desafio se volta para empresas que fornecem conteúdo e serviços online, como comércio eletrônico e Internet banking. E ainda temos diversos problemas relacionados aos equipamentos e a falta de suporte ao IPv6 ", avalia Antonio Moreiras, gerente de projetos e desenvolvimento do NIC.br.

Colaboração da comunidade

O evento contou ainda com as apresentações “IPv6 na última Milha para Pequenos e Médios Provedores de Acesso”, tema abordado por Uesley Corrêa e Elizandro Almeida (Network Education) e “Log de portas no NAT444 para pequenos provedores”, que ficou sob a responsabilidade de Eric Val (Fasternet). Além da palestra de Christian O'Flaherty (ISOC) e Chris Bowers (Juniper), que comentaram o trabalho do IETF na América Latina, especialmente sobre os grupos de discussão relacionados ao IPv6. “Não há ninguém no comando, qualquer um pode contribuir e todos poderão se beneficiar”, reforçou O'Flahert, convidando todos os interessados a participar.

Todas as apresentações realizadas durante o evento estão disponíveis. Assim com o IX (PTT) Fórum 9 e as reuniões do GTER e GTS, o IV Fórum de IPv6 conta com as cotas de patrocínio platina da Abranet e NTT.

Fonte: NIC.br.