Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Tablets representam 45% das compras de TI na administração pública federal

Notícias

Tablets representam 45% das compras de TI na administração pública federal

publicado: 31/07/2012 09h39 última modificação: 20/04/2016 10h18

Brasília, 31/7/2012 – Na área de Tecnologia da Informação (TI), as compras de tablets e os contratos de serviços de licença pelo uso de software foram os bens e serviços mais adquiridos pela administração pública federal nos seis primeiros meses deste ano. As compras de bens representaram 87%, cerca de R$ 745 milhões, e as de serviços 13%, com R$ 107,6 milhões. A aquisição de tablets apresentou valores da ordem de R$ 337,9 milhões (45%) e de serviços de licença pelo uso de software R$ 31,1 milhões (29%).

Gráfico que mostra o valor das compras de dispositivos tecnologicos. Fonte: Comprasnet, 2012. 

Em 2012, as 1.222 licitações públicas de TI movimentaram R$ 852,6 milhões, representando 7% do total das aquisições dos órgãos da administração direta, autárquica e fundacional.

De janeiro a junho de 2012, o Ministério da Educação foi o órgão da administração federal que mais realizou compras de TI, respondendo por 59% dessas contratações, cerca de R$ 499,3 milhões.

O secretário de logística e tecnologia da informação, Delfino Natal de Souza, destaca a  participação do MEC nas compras de TI, pois são compras que envolvem programas educacionais e enfatiza a modernização da administração pública federal por meio da aquisições de tablets. “Já temos também uma participação significativa destes equipamentos nas áreas administrativas da União”, afirma.

Regionalmente, os órgãos federais que mais contrataram bens e serviços estão concentrados no Centro-Oeste, totalizando gastos da ordem de R$ 565,4 milhões (66%). Os órgãos do Distrito Federal respondem pela quase totalidade das compras nessa região, atingindo o valor de R$ 547,1 milhões.

Evolução

Em relação a 2007, a compra de bens e serviços de TI em 2012 cresceram 25%. Nesse período, o pregão eletrônico foi a modalidade mais utilizada, gerando uma economia média de 19%, cerca de R$ 83 milhões, nas contratações. Em 2012, o pregão eletrônico já responde por 99,3% das licitações dessas compras, proporcionado uma economia de R$ 332,9 milhões (28%). “Este número demonstra o quanto o pregão eletrônico se transformou em instrumento hegemônico para as aquisições de TI”, comemora Souza.

Os dados do Comprasnet indicam ainda uma evolução no número de fornecedores, passando de 6.887, em 2007, para  7.983, em 2012. Nesse período, entre as micro e pequenas empresas, a evolução foi de 30%. Neste ano, esses fornecedores representaram 73% (5.847) do total de participantes nas licitações de bens e serviços de TI.

Os dados foram extraídos do Portal de Compras do Governo Federal (Comprasnet), gerenciado pela secretaria de logística e tecnologia da informação (SLTI), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

Fonte: http://www.planejamento.gov.br