Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Sisp: órgãos podem opinar sobre implementação de IPv6

Notícias

Sisp: órgãos podem opinar sobre implementação de IPv6

As contribuições podem ser realizadas até 15 de outubro

publicado: 30/09/2014 01h00 última modificação: 24/06/2016 08h56

Os órgãos integrantes do Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação, o Sisp, têm até 15 de outubro para dar suas contribuições para o Plano de disseminação do Uso do Protocolo de Endereçamento de Internet na versão seis, mais conhecido como IPv6. O documento tem como objetivo estabelecer um conjunto de ações para os órgãos adotarem o modelo em suas estruturas internas e externas de Tecnologia da Informação (TI).

Uma das funcionalidades do protocolo de internet é identificar, por meio de números, os usuários da rede mundial de computadores. O aumento na utilização de smartphones gera novos usuários, o que consome os endereços IP. Além disso, equipamentos inteligentes que transmitem dados remotos, como novos medidores de energia e água, máquinas de cartão de crédito sem fio também necessitam de endereços IP.

“Estruturamos o plano de uma forma que todos os órgãos possam fazer a sua transição para o IPv6 sem maiores problemas, a proposta é começar por sítios e provedores”, afirmou Loreni Foresti, secretária de logística e tecnologia da informação do MP. Ao todo, serão oito metas semestrais para as entidades públicas migrarem para a versão seis até 2018.

De acordo com a secretária, uma das motivações da elaboração deste plano foi o esgotamento dos endereços públicos livres em IPv4. “Vamos trabalhar para não existirem problemas no fornecimento de serviços eletrônicos, tanto pela falta de endereçamentos válidos quanto, também, pela não adequação ao novo padrão”, disse Foresti.

O plano já está disponível para consulta no Portal do Governo Eletrônico. As colaborações devem ser enviadas para os seguintes endereços eletrônicos: daniel.araujo@planejamento.gov.br ou wellington.araujo@planejamento.gov.br. Após a análise, a SLTI divulgará a versão oficial do plano ainda na primeira quinzena de novembro.

Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.