Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Portal de e-GOV vai promover colaboração entre países de língua portuguesa

Notícias

Portal de e-GOV vai promover colaboração entre países de língua portuguesa

publicado: 28/11/2011 19h26 última modificação: 20/04/2016 10h03

Brasília, 28/11/2011 - Para promover o intercâmbio de informações e a troca de experiências em Governo Eletrônico (e-GOV) entre os países que fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o Ministério do Planejamento lança nesta semana, o portal “Ambiente Colaborativo em Governo Eletrônico”.

O sítio será divulgado oficialmente durante a Oficina de Trabalho com os Pontos Focais do Governo Eletrônico, que será realizada entre os dias 28 e 30 de novembro, em Maputo, capital de Moçambique.

O objetivo do novo portal é expor experiências dos estados-membros (Angola, Brasil, Cabo-verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São-Tomé e Príncipe e Timor-Leste) em assuntos como modernização da gestão pública e a prestação de serviços por meios eletrônicos.

Temas como software livre, inclusão digital, dados abertos governamentais, interoperabilidade, ensino à distância e padronizações para desenvolvimento de soluções em ambiente virtual serão debatidos e divulgados.

Para isso, estarão disponíveis ferramentas para dar suporte à criação, discussão e intercâmbio entre os usuários dos diversos países integrantes da CPLP. O ambiente foi elaborado por técnicos da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI).

Experiência brasileira

Durante o evento, os países também irão apresentar experiências bem sucedidas em e-GOV. A delegação brasileira vai apresentar o Portal do Software Público, a iniciativa de dados abertos e o histórico de governo eletrônico.

Para Corinto Meffe, diretor do departamento de integração e sistemas de informação da SLTI, a experiência brasileira de colaboração irá auxiliar os países membros da comunidade. “Os resultados obtidos pelo governo brasileiro vão auxiliar os integrantes da CPLP a desenvolverem novas práticas”, afirma Meffe.

O grupo brasileiro será constituído por representantes do Ministério do Planejamento, do Desenvolvimento Agrário, Serpro, Dataprev e Universidade Aberta do Brasil (UAB).