Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Planejamento e Serpro apresentam framework para viabilizar interoperabilidade no governo

Notícias

Planejamento e Serpro apresentam framework para viabilizar interoperabilidade no governo

A discussão sobre o uso da ferramenta aconteceu durante o Fórum de Governança

publicado: 29/11/2017 18h17 última modificação: 29/11/2017 18h17
Na última quarta-feira (22), diversos profissionais se reuniram para discutir as necessidades diárias de interoperabilidade na gestão pública. O encontro ocorreu durante a quinta edição do Fórum de Governança, que reafirmou a importância do uso do Framework de Arquitetura Corporativa para Interoperabilidade no Apoio à Governança (Facin) na administração pública, alinhando aos principais pilares da administração pública, sendo sustentada principalmente pela Política de Governança Digital, pelo decreto de Simplificação do Atendimento e o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização.
 
O Framework está incorporado a arquitetura do ePING (Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico), o uso da ferramenta fomentará o alinhamento intra e interorganizacional, dando base à evolução de métodos, processos e boas práticas rumo à eficiência dos negócios, melhoria da transparência e da oferta de serviços públicos.
 
O diretor de Operações do Serpro, Iran Martins Junior, destacou-se a necessidade de se promover a melhoria sustentável na prestação dos serviços ao cidadão. “O Serpro está pronto a dar suporte a todos os órgãos interessados em implementar o framework”, ressaltou. Ele ainda disse que é importante deixar a “estrada pavimentada”, referindo-se à continuidade e estabilidade das iniciativas, mesmo nos diferentes ciclos de governo.
 
Já para o assessor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do Ministério do Planejamento (Setic/MP), Jean Paulo Silva, o uso do Facin na administração pública pode ser comparado ao funcionamento de uma orquestra. “Muitas vezes o maestro não toca todos os instrumentos, mas sabe como fazer com que haja um trabalho harmônico e integrado entre todos os componentes, por meio de uma única partitura. Essa partitura é o Facin”, disse.
 
Para o coordenador de Desenvolvimento Institucional da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) Vinicius Neiva, “a adoção do Facin possibilita passos seguros e compreensíveis não só por quem trabalha com TI, mas também para quem atua em outras áreas”, informou.A primeira etapa da implementação do uso do Facin na STN estará concluída em março de 2018.
 
A Associação Brasileira das Entidades Estaduais da TIC (Abep), representada por meio de seu vice-presidente de Tecnologia, Romero Guimarães, acredita que o Facin já está pronto para ser utilizado largamente e, como qualquer framework, estará sempre em evolução. “A partir de agora vamos utilizá-lo. Difundi-lo de forma incansável, junto com o conceito de que a utilização da arquitetura corporativa é a mais importante ferramenta para a governança de TI nas organizações governamentais”.
 
Segundo Marcus Vinicius da Costa, coordenador de Integração e Interoperabilidade do Serpro, e condutor da iniciativa de implementação do framework, os Fóruns de Governança possibilitam a evolução contínua e a difusão do Facin. “Chegamos até aqui trabalhando juntos para proporcionar ao cidadão uma única visão de governo. As discussões, favorecidas por eventos desta ordem, nos fazem perceber as várias análises e o quanto o Framework é entendido e esperado pelas organizações”, explicou Marcus Vinicius.
 
A programação do evento contou com seis painéis de especialistas em governos, políticas públicas e interoperabilidade, com experiências de entidades que já usam o Facin e onde o conceito de “Governo como um Todo” está presente.