Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Planejamento debate melhoria da prestação de serviços públicos em fórum de tecnologia

Notícias

Planejamento debate melhoria da prestação de serviços públicos em fórum de tecnologia

Evento foi realizado no auditório do Serpro, em Brasília

publicado: 13/08/2015 01h00 última modificação: 15/08/2016 17h23

Os desafios para a melhoria da prestação de serviços públicos foram apresentadas hoje (12), no II Fórum de Governança Áreas de Integração para Governo Eletrônico dos Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico (ePING), no Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), em Brasília. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) foi representado no evento pelo secretário de Logística e Tecnologia da Informação, Cristiano Heckert, e pelo diretor do Departamento de Gestão dos Sistemas e Informações das Estruturas e da Força de Trabalho da Secretaria de Gestão Pública (Desin/Segep), Luis Felipe Salin.

Para o secretário, a Tecnologia da Informação e das Comunicações (TIC) deve assumir um novo papel, as ações devem ter foco no cidadão e não mais nos órgãos. “O Estado tem de deixar de ser um lugar e se tornar uma presença. Queremos evoluir rapidamente para que uma pessoa consiga ser atendida diretamente de seu smartphone enquanto caminha em direção ao seu trabalho, ou seja, um Estado que esteja onde o cidadão estiver”, afirma.

O diretor tem opinião parecida com a de Heckert. “Antigamente, queríamos que o cidadão fosse atendido pelos serviços governamentais sem sair da cadeira, mas esta não é mais a realidade atual”, explica Salin.

Para alcançar este resultado, a Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) trabalha desde maio na elaboração da Estratégia de Governança Digital (EGD). A proposta de elaboração do documento está alinhada ao Programa Bem Mais Simples Brasil, lançado em fevereiro de 2015 pela Presidenta Dilma Rousseff. Neste sentido, a EGD coloca a TIC como viabilizadora do acesso à informação, promoção de melhores serviços governamentais e ampliação da participação social.

Para a construção da EGD, a SLTI realizou um seminário, três oficinas e abriu consulta pública no Portal da Participação Social (Participa.br) para receber sugestões de gestores, servidores, academia e sociedade em geral. Todo este esforço resultou em 1.194 contribuições.

A EGD substituirá a Estratégia Geral de Tecnologia da Informação e Comunicações (EGTIC), instrumento anteriormente utilizado para alinhar as iniciativas de TIC às estratégias do governo federal. A estratégia será lançada em setembro e terá validade para os 219 órgãos integrantes do Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação (Sisp).