Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Monitores do Projeto Gesac para inclusão digital são capacitados em Cuiabá

Notícias

Monitores do Projeto Gesac para inclusão digital são capacitados em Cuiabá

publicado: 03/02/2011 11h54 última modificação: 20/04/2016 09h32

Vinte e dois monitores de vários municípios de Mato Grosso participantes do Projeto Gesac de inclusão digital do Governo Federal se reuniram na semana passada, de 24 a 28 de janeiro, no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) Campus Cuiabá para receber capacitação em conteúdos de hardware, software e redes.

Estiveram presentes monitores do Alto Xingu, de Acorizal, Alta Floresta, Cáceres, Comodoro, Cuiabá, Lucas do Rio Verde, Nobres, Novo São Joaquim, Paranaíta, Porto Espiridião e Vila Bela da Santíssima Trindade.

O Projeto Gesac de capacitação é parte das ações do Programa Gesac, criado há mais de oito anos, e que é uma das maiores ações de inclusão digital do Governo Federal, coordenado pelo Ministério das Comunicações. Seu objetivo é promover a inclusão digital em locais de difícil acesso e em comunidades em estado de vulnerabilidade social.

O Programa oferece, gratuitamente, ferramentas de tecnologia da informação e comunicação, recursos digitais e capacitação de multiplicadores em todo território brasileiro, por meio de uma plataforma de rede satelital e de serviços e aplicações. O Gesac busca disseminar meios que permitam a universalização do acesso às informações e serviços de governo eletrônico.

Foto do projeto GESAC em Cuiabá

A primeira etapa de capacitação ofereceu aos monitores aulas sobre educação à distância e cidadania. A segunda fase de capacitação está ocorrendo nacionalmente desde agosto e seguirá até maio.

Rogério Fernandes, promotor de inclusão digital do Projeto Gesac em Mato Grosso e Rondônia, informa que, ao todo, são 200 pontos de acesso Gesac espalhados no primeiro Estado. “Nesta segunda etapa do Projeto, é visado minimizar a dificuldade de manutenção que os monitores desses pontos de acessos tinham, através de aulas sobre softwares livres, hardware e redes. A etapa é realizada através de uma parceria entre os ministérios da Comunicação (MC) e da Educação (MEC) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), o qual financia os bolsistas”, explica o promotor de inclusão digital.

Os estudantes do Instituto Federal de Goiás (UFG), Walter Pureza Neto (Redes de Comunicação) e Einstein Ruber de Azevedo (Engenharia Mecânica), foram escolhidos como instrutores para capacitar os 22 monitores de Mato Grosso. Eles dizem que os Instituto Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IF’s) são geralmente parceiros na realização desses cursos de capacitação, oferecendo instrutores e a estrutura necessária para que aconteçam em todo o país.

“A ideia deste curso é fazer com que os monitores saiam daqui como multiplicadores e tenham condições de repassar o que aprenderam para pelo menos mais três pessoas. Assim, poderão dar o apoio necessário aos telecentros da própria comunidade”, afirmam.

No IFMT Campus Cuiabá, a professora do Departamento da Área de Informática (DAI), Mônica Cristiane Moreira Crispim, professora orientadora do Projeto Gesac, preparou a estrutura física dentro dos laboratórios para execução das aulas. “O Projeto é de fundamental importância, uma vez que tem como finalidade capacitar multiplicadores que vivem em lugares de difícil acesso para que possam se comunicar. É uma contribuição social ao processo de democratização e acesso à informação em Mato Grosso em prol da inclusão digital”, ressalta.

Monitores

Foto do projeto GESAC em Cuiabá

Dentre os monitores que participaram da capacitação desta segunda fase do projeto, estavam três jovens indígenas do Parque Indígena do Xingu. Leonardo Meinako Kamaiurá, 19 anos, Ashauá Kuikuro, 18 anos, e Jair Yawalapiti, 22 anos, foram indicados pelos líderes de suas aldeias para representá-los. “O que aprendi aqui posso passar para minha comunidade. Temos um ponto de telecentro, desde 2007. A internet ajuda os profissionais de saúde a pedir apoio para atender os pacientes da aldeia e serve para divulgarmos os projetos que temos”, conta Leonardo. As aldeias dos monitores ficam a 300 km do município de Canarana (a 822 km de Cuiabá).

Além deles, oito militares de bases do Exército localizadas em áreas de fronteira do estado também estavam recebendo capacitação. O militar do Exército Wenceslau Barbosa Ribeiro, 41 anos, conta que o destacamento militar de Corixa fica localizado a 90 km do município de Cáceres (a 209 km de Cuiabá), na fronteira com a Bolívia. “O Programa Gesac aproveitou a estrutura da base para que a população civil passasse a ter acesso à internet, já que o sistema de comunicação militar é acessível somente a membros do destacamento”, comenta Ribeiro. “A proposta do curso é passar o conhecimento para membros da comunidade e também para militares, até porque sou provisório no destacamento”, afirma.

A capacitação dos monitores não termina com as aulas realizadas em Cuiabá. Depois do treinamento, os participantes continuam em contato com o Projeto através da plataforma moodle. Assim que as atividades de capacitação terminarem em maio, o Ministério das Comunicações fará  uma avaliação para verificar se a forma como o conhecimento está sendo passado é eficaz.

Fonte: IFMT Campus Cuiabá