Você está aqui: Página Inicial > Notícias > MC viabiliza parcerias para internet na região Amazônica

Notícias

MC viabiliza parcerias para internet na região Amazônica

Integração com o governo do Pará ampliará abrangência da fibra óptica no interior do estado

publicado: 27/01/2016 03h00 última modificação: 20/04/2016 10h58

O ministro das Comunicações, André Figueiredo, afirmou hoje (26) que a expansão da fibra óptica na região Amazônica, a partir de parcerias com o governo do estado do Pará, contribuirá para a universalização da internet brasileira. Durante a reunião com o presidente da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa), Theo Pires, e com o secretário estadual de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do Pará, Alex Fiúza, o ministro demandou o início da montagem do plano de ação integrado, que poderá contar com o financiamento de fundos específicos.

ministerio_das_comunicacoes

"Uma das grandes necessidades, no Pará, é levar telefonia e internet móveis para o interior. Na expectativa de popularizar o serviço, vamos intensificar os investimentos que serão direcionados a partir de parcerias interestaduais. Os recursos poderão ser adquiridos através de fundos ou empréstimos do BNDES", disse André Figueiredo.

Alex Fiúza pontuou as peculiaridades existentes na Amazônia, com destaque para o Pará, que apresenta um movimento populacional inverso ao do Amazonas. "O estado apresenta, por característica, o desenvolvimento para o interior. Isso gera uma demanda por acessibilidade a partir de infraestrutura. O desafio é levar fibra óptica nos pontos mais isolados, pois apresentam um vácuo tecnológico. Para isso, a integração com o Ministério é fundamental", explicou, ao valorizar o programa de Cidades Digitais.

Para o secretário de Inclusão Digital do Ministério das Comunicações (MC), Américo Tristão, a integração entre os governos federal e estadual favorece o desenvolvimento dos municípios e a ampliação dos benefícios para a população. "Tendo a Prodepa como parceira, conseguiremos ampliar a expansão da infraestrutura de internet nessas localidades. Com isso, levaremos conexão não só para a população, mas também para órgãos públicos, incluindo escolas e hospitais", afirmou.

Desenvolvimento

A partir do Regime Especial de Tributação do Plano Nacional de Banda Larga (REPNBL), o Ministério vai liberar 381 milhões de investimentos em ampliação de infraestrutura para internet banda larga até 2016. Pela iniciativa, o governo federal concedeu isenção fiscal para empresas que encaminharam projetos de construção e modernização de redes de banda larga.

Além disso, já foram implantadas cerca de 24 Cidades Digitais e um Centro de Recondicionamento de Computadores, que fica localizado em Belém.

Fonte: Ministério das Comunicações.