Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Governo quer reduzir 70% do preço da banda larga

Notícias

Governo quer reduzir 70% do preço da banda larga

publicado: 10/03/2010 19h01 última modificação: 19/04/2016 17h06

Reduzir em até o 70% o preço da banda larga no Brasil. Essa é a proposta do Plano Nacional de Banda Larga, que pretende massificar o acesso a essa infraestrutura e ampliar a concorrência na prestação desses serviços junto aos provedores de internet. O tema foi debatido no dia 09 de março, em Brasília, durante o 1° Seminário de Governo Digital.

Na ocasião, o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, disse que o Estado dispõe de fibras ópticas pertencentes ao Sistema Eletrobrás que podem permitir o acesso à internet de alta velocidade por custo médio de R$ 30,00.

Os detalhes de como este plano vai funcionar e qual será sua abrangência aguardam uma definição por parte do presidente Lula. A reunião que vai discutir o assunto com a Casa Civil os ministérios envolvidos, entre eles o Planejamento, está prevista para abril.

Santanna defende que o governo assuma um papel que hoje não é exercido por nenhuma operadora de telefonia na prestação de internet de alta velocidade e a baixo custo não apenas nas cidades de alta renda e densidade populacional, mas também nas regiões mais distantes dos centros urbanos e de baixa renda.

“Não há como pensar um país moderno e baixar os seus custos operacionais sem dispor de uma infraestrutura de telecomunicações adequada aos desafios do século 21”, destacou o secretário.

Ele ressaltou que os grandes projetos do governo estão baseados em sistemas de informação, como o caso da aposentadoria em 30 minutos, o pregão eletrônico, o Programa Universidade para Todos (Prouni) o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), entre outros exemplos.

O secretário disse ainda que cerca de 32 milhões de pessoas ingressaram na classe C no país nos últimos e que as atuais operadoras de telefonia não dispõem de serviços para atendê-las.