Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Estratégia de Governança Digital é apresentada a dirigentes de empresas de TI

Notícias

Estratégia de Governança Digital é apresentada a dirigentes de empresas de TI

Documento pretende promover a simplificação e agilização na prestação de serviços e melhoria da eficiência na gestão pública.

publicado: 24/02/2016 02h00 última modificação: 20/04/2016 10h57

Dirigentes executivos da Associação Brasileira dos Agentes Digitais (Abradi) conhecerão, na tarde desta quarta-feira (24), em São Paulo, as iniciativas do governo federal para oferecer melhores serviços digitais ao cidadão. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) será representado na reunião executiva da entidade pelo secretário adjunto de Tecnologia da Informação, Fernando Siqueira, que apresentará o projeto da Estratégia de Governança Digital (EGD). O documento pretende promover a simplificação e agilização na prestação de serviços e melhoria da eficiência na gestão pública.

A estratégia definirá os objetivos estratégicos, metas e indicadores da Política de Governança Digital e baseia-se em três pilares: viabilizar o acesso à informação, promover melhores serviços eletrônicos e ampliar a participação social. O documento terá validade entre 2016 e 2019, mesmo período de vigência do Plano Plurianual (PPA). As ações de Tecnologia da Informação (TI) devem seguir o estabelecido pelo Decreto nº 8.638, assinado em 15 de janeiro, que instituiu a referida política.

Para Siqueira, apresentar a estratégia para a associação é importante para compreender melhor o mundo digital, já que os representantes da Abradi são prestadores de serviços para um segmento do mercado brasileiro que tem forte relação com os movimentos que estão sendo propostas no governo, que é a transformação de serviços analógicos em digitais. “É a oportunidade, também, de ouvir o que estes agentes têm a dizer. Eles estão ligados diretamente ao mundo digital, e certamente, terão alguma contribuição para fomentar o nosso processo de digitalização dos serviços prestados pelo governo”, afirma.

O secretário evidencia ainda a necessidade de compartilhar as ações do governo com o mercado. “Ao disseminar as iniciativas governamentais em uma associação de tamanho porte, as ações são automaticamente compartilhadas e multiplicadas”, conclui. A associação é composta por 700 empresas e possui representação em 14 estados.

O trabalho para a construção da EGD começou no início do ano passado. Para elaborar o documento, a secretaria realizou um seminário, três oficinas e abriu consulta pública no Portal da Participação Social (Participa.br) para receber sugestões de gestores, servidores, academia e sociedade em geral. A portaria que estabelece a estratégia será publicada nos próximos dias.

Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.