Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Compras Sustentáveis na mira de micro e pequenos empresários

Notícias

Compras Sustentáveis na mira de micro e pequenos empresários

Governo Federal pede a produção de itens sustentáveis

publicado: 30/10/2013 02h00 última modificação: 12/05/2016 16h25

Brasília, 30/10/2013 – Como a contratação pública de itens sustentáveis pode ser uma ferramenta para modificar realidades e diminuir os danos causados ao meio ambiente. Esse foi o teor da palestra levada pela diretora de Logística e Serviços Gerais do Ministério do Planejamento, Ana Maria Viera, durante o VI Fomenta Nacional. O evento, promovido pelo serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas empresas (Sebrae), trouxe empreendedores de todo País para trocar experiências com o governo federal e com a iniciativa privada.

Segundo Ana Vieira, se tratando de compras sustentáveis, existem três aspectos a serem levados em consideração - meio ambiente, economia e aspectos sociais. "Se for barato e a produção não agredir ao meio ambiente, mas for utilizado trabalho infantil ou escravo, o item não é sustentável", explicou a diretora. Para ser considerado sustentável, o produto deve promover o desenvolvimento sustentável do País, o que envolve critérios ambientais, econômicos e sociais.

Outro fator relevante para se considerar na compra de produtos sustentáveis é a conveniência, o ciclo de vida do item. Por exemplo, se uma lâmpada tem o valor mais alto, um ciclo de vida mais longo e gerar maior economia de energia, isso deve ser levado em consideração.

Ciclo virtuoso
O objetivo do governo federal é promover um ciclo virtuoso de riqueza. Com o incentivo da compra de pequenos e microempresários, estimular o desenvolvimento do interior do País, "São compras que geram empregos e renda, que, por sua vez, geram impostos, que entram nas prefeituras e que geram riqueza para o interior do país", explicou a diretora de logística.

A intenção é que os gestores públicos desenvolvam a consciência da corresponsabilidade quando se trata, por exemplo, do descarte de computadores. "A legislação estabelece que o consumidor é corresponsável, assim como o fabricante. Nós, o Estado, somos grandes consumidores", destacou Ana Maria.

O VI Fomenta Nacional segue discutindo estratégias de compras até a próxima quinta-feira (31). Mais informações sobre o evento podem ser acessadas no site do Sebrae.

Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão