Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Compra conjunta de bens de informática gera economia de R$ 93,2 milhões

Notícias

Compra conjunta de bens de informática gera economia de R$ 93,2 milhões

Ao todo, 119 órgãos participaram da aquisição de notebooks, desktops e monitores

publicado: 26/01/2017 09h51 última modificação: 26/01/2017 09h59

O governo federal economizou R$ 93,2 milhões com a compra conjunta de produtos e bens de informática. Ao todo, 119 órgãos públicos participaram da licitação com o objetivo de adquirir notebooks, desktops e monitores. A estimativa inicial era de uma despesa de R$ 240,2 milhões. Nas duas últimas semanas, técnicos do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP) trabalharam na análise e teste dos equipamentos das empresas vencedoras do pregão eletrônico nº 4/2016, que foi realizado no dia 9 de janeiro. O valor aproximado da licitação ficou em R$ 147 milhões.

“O governo utilizou o seu poder de compra para realizar esta aquisição. O ganho de escala com a compra conjunta está demonstrado nesta economia de R$ 93,2 milhões. Vamos continuar trabalhando para que as compras de TI neste modelo sejam realizadas com maior frequência, pois o maior beneficiado da eficiência do gasto público é o cidadão brasileiro”, explicou o secretário de Tecnologia da Informação do MP, Marcelo Pagotti.

Organizado pela Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) em parceria com a Central de Compras do Governo Federal, o processo de compra conjunta de 106.977 itens de informática foi iniciado ainda em 2014. A maior parte dos órgãos federais participantes do processo de compra são de Brasília. Entre eles, estão o próprio MP e também os ministérios da Justiça e Cidadania, Indústria, Comércio Exterior e Serviços; a Advocacia-Geral da União (AGU); e a Defensoria Pública da União (DPU).

Outros órgãos ou entidades públicas poderão fazer a adesão a Ata de Registro de Preço que será criada ao final do processo licitatório. Esta ata terá a validade de um ano. O resultado do pregão eletrônico pode ser visualizado por todos os cidadãos no Portal de Compras Governamentais.

Fonte: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão