Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Comitiva angolana conhece boas práticas do Governo Brasileiro

Notícias

Comitiva angolana conhece boas práticas do Governo Brasileiro

Foco da reunião foram experiências de governo eletrônico, transferências voluntárias e governança

publicado: 18/09/2015 01h00 última modificação: 20/04/2016 11h12

Representantes do Serviço de Tecnologia da Informação e Comunicação do Ministério das Finanças de Angola estiveram reunidos no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), em Brasília, para conhecer boas práticas em governança, transferências voluntárias e governo eletrônico. Três diretores da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do MP apresentaram à comitiva angolana os principais avanços brasileiros nas áreas de interesse.

O Portal de Serviços, página que reúne diversas soluções governamentais voltadas ao cidadão, foi um dos destaques do encontro. Em Angola, não existem telefones fixos e a maior parte do acesso à internet é dada por dispositivos móveis. Daí a necessidade de pensar em formatos de páginas governamentais que possam ser facilmente acessadas por intermédio de celulares e tablets. “Testamos o nosso portal em dispositivos móveis para garantir que o cidadão possa encontrar as informações onde quer que esteja”, explicou Andrea Ricciardi, diretora de Governo Eletrônico.

Outra curiosidade da comitiva angolana: as transferências voluntárias e a celebração de convênios entre a União e os estados ou municípios. “A celebração de convênios se dá em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento do país. É uma das formas de a União descentralizar recursos e atingir necessidades pontuais dos cidadãos”, afirmou Deborah Arôxa, diretora do departamento de transferências voluntárias do MP.

Para Natália Airosa, chefe do departamento de organização e método do serviço s de tecnologia da informação das finanças públicas de Angola, a experiência brasileira servirá para dar início a processos semelhantes em seu país. “Somos povos irmão e o Brasil tem uma maturidade mais avançada com relação a esses assuntos. Essa troca de informações nos aproxima ainda mais”, declarou.

Já na parte de Governo Eletrônico, o destaque foi o Portal do Software Público Brasileiro. “Apenas uma das soluções disponíveis foi capaz de economizar mais de R$ 91 milhões para o Governo do Distrito Federal”, relatou Wagner Araújo, diretor de governança e sistemas de informação, referindo-se ao I-Educar, software que informatiza a gestão escolar.

Mais informações sobre Governo Eletrônico, Governança e Transferências Voluntárias podem ser acessadas na página da SLTI/MP.

Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.