Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Brasil sobe quatro posições em ranking internacional de dados abertos

Notícias

Brasil sobe quatro posições em ranking internacional de dados abertos

País ocupa o 1º lugar na América do Sul e a 17ª posição em todo o mundo

publicado: 22/04/2016 01h00 última modificação: 20/05/2016 15h38

O Brasil subiu quatro posições no Open Data Barometer 2015 ocupando a primeira posição na América do Sul e atingindo o 17º lugar no índice que mede o impacto das iniciativas de dados abertos no mundo. No subcontinente, o Brasil vem seguido do Uruguai (19º), Colômbia (28º) e Chile (30º).

“O Ministério do Planejamento tem feito muitos esforços para promover a abertura e uso de dados junto aos órgãos que compõem toda a Administração Pública Federal”, disse o secretário de Tecnologia da Informação, Cristiano Heckert. “Saber que o Brasil tem se destacado em rankings internacionais na área dedados abertos traz uma injeção de ânimo para nós que estamos trabalhando por um governo com foco no cidadão, mais transparente e 100% digital”, completou o secretário.

De acordo com a terceira versão do Open Data Barometer 2015, os elementos avaliados e que qualificaram o Brasil em termos de dados abertos são a facilidade, a implementação e o impacto dos dados. No Brasil, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), por meio da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) trabalha para promover a Estratégia de Governança Digital (EGD). Dentro das principais ações da EGD, estão os acordos firmados com órgãos do Poder Executivo para que implementem a política de dados abertos pelo portal dados.gov.br.

“Desde o principio, a política de dados abertos no Brasil foi feita com participação social, e diversos órgãos se comprometeram a elaborar os seus planos. É bom lembrar que a sociedade também pode apoiar sugerindo quais temas devem ser abertos”, informou Heckert.

Os dados abertos do Brasil em outras medições

O Brasil subiu 14 posições no Índice Global de Dados Abertos 2015. O país ocupa agora o 12º lugar entre os 122 países e lugares que estão no ranking organizado pela Open Knowledge Internacional. Em 2014, o Brasil ocupava a 26ª colocação.

Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.