Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Aplicativos vão traduzir conteúdos para pessoas com deficiência auditiva

Notícias

Aplicativos vão traduzir conteúdos para pessoas com deficiência auditiva

Planejamento e a UFPB disponibilizam versão mobile e plugins para navegadores do Tradutor Libras

publicado: 26/10/2015 02h00 última modificação: 18/07/2016 17h16

O tradutor Libras em Software Livre (VLibras) versão mobile já está disponível para ser baixado e vai ampliar o acesso das pessoas com deficiência auditiva aos meios digitais. O conjunto de aplicativos faz a tradução de conteúdos digitais (texto, áudio e vídeo) para Libras, a Língua Brasileira de Sinais. Os softwares desenvolvidos pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) em parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) facilitarão a vida de 5,1% da população brasileira, que somam cerca de 10 milhões de pessoas com algum nível de surdez segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Vlibras software

O conjunto de ferramentas computacionais já entregue pelo projeto é composto pelo VLibras-Desktop, VLibras-Plugin para os navegadores Chrome, Firefox e Safari e a nova versão do Dicionário de Libras com 7.484 sinais. Para 2016, serão agregados ao projeto a entrega do VLibras-Video e WikiLibras. O dicionário do VLibras também servirá de referência para transmissão de informações nos programas veiculados pelas emissoras de televisão no Brasil.

“É muito compensador estar na equipe de um trabalho assim, capaz de pensar e concretizar um projeto desta grandeza, que vai ajudar muita gente com dificuldade física, ao casar tecnologia e inteligência, gerando igualdade de acesso e de oportunidades a essas pessoas”, disse o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do MP, Cristiano Heckert.

O VLibras versão mobile já está disponível nas lojas da Google Play e na Apple Store. Além da versão para aparelhos móveis e da versão para desktop, a equipe do projeto entrega também plugins para navegadores, que irão permitir a execução do aplicativo VLibras sem precisar instalar diretamente na máquina local.

A fonoaudióloga da Secretaria de Saúde do Governo do Distrito Federal (SES/DF), Gabrielle Borges, considera o projeto um avanço no sentido de incluir o surdo na sociedade. “É fundamental divulgar o projeto para as unidades de saúde e escolas, pois muda a vida das pessoas e elas precisam saber que os aplicativos já existem e que já podem ser utilizados gratuitamente”, afirmou.

Processo colaborativo

O projeto é resultado de acordo de cooperação entre o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em seu Centro de Informática por meio do Núcleo de Pesquisa e Extensão do Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital, e conta ainda com o apoio do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

As pesquisas desenvolvidas pelo LAVID são realizadas em parceria com outras universidades, institutos de pesquisa e empresas da iniciativa privada. Por ser um laboratório ativo na área de desenvolvimento, recebe financiamento de instituições parceiras como a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O projeto VLibras permite que colaboradores possam participar do processo de desenvolvimento das ferramentas, seja por meio da adição de novos sinais, edição dos sinais existentes ou de todo o conjunto da Suite VLibras, tornando o desenvolvimento mais produtivo. Todas as ferramentas são de código aberto e estão sendo disponibilizadas no Portal do Software Público.

Assista ao vídeo de demonstração, baixe a versão do VLibras.

Conheça também a página da ferramenta no sítio do Governo Eletrônico e no Facebook.

Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.