Automação do Processo de Contratações de TI

por Catia Parreira publicado 27/06/2016 17h03, última modificação 16/06/2017 12h01

Considerando os diversos fatores que dificultam a aderência por parte das diversas instituições integrantes do Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática (SISP) às boas práticas na contratação de soluções de Tecnologia da Informação (TI), especialmente ao processo de contratação representado no Modelo de Contratações de TI (MCTI), modelo este baseado na Instrução Normativa MP/SLTI nº 4, de 11 de setembro de 2014. O Núcleo de Contratações de TI (NCTI) vem buscando as melhores estratégias para auxiliar a comunidade SISP no alinhamento de suas contratações de TI ao modelo definido.

Essa busca, fundamentada, por um lado, na discussão com diversos servidores lotados nos órgãos integrantes e na própria Secretaria de Tecnologia da Informação - STI; e, por outro, no amadurecimento da compreensão do escopo dos objetivos e das estratégias possíveis – excludentes ou não, resultou na percepção unânime de que é fundamental implantar, no âmbito do SISP, a médio prazo, um sistema de caráter estruturante que atenda com completude às necessidades de automação das fases PCTI (Planejamento da Contratação de TI) e GCTI (Gestão de Contratos de TI) do MCTI, e que, ao mesmo tempo, contemple algumas premissas estratégicas essenciais, quais sejam:

  1. trazer natural aderência ao modelo pela facilidade de operação ao se executar uma instância qualquer do processo de contratação;
  2. permitir a evolução e o aperfeiçoamento do MCTI, ao longo do tempo, trazendo a inteligência do processo para a superfície do sistema;
  3. permitir a especialização dos casos específicos de contratação regidos pela IN04/2014, pelo versionamento dos processos – se necessário, bem como dos templates disponíveis;
  4. permitir facilidades de totalização e análise de dados no âmbito do SISP como um todo;
  5. permitir e fomentar a construção automática do histórico das instâncias de contratação ao longo da operação distribuída;
  6. facilitar a identificação de casos de uso de sucesso pelos usuários do sistema, a título de paradigma.

Por outro lado, há que se levar também em conta que:

  • não se tem conhecimento da existência de um sistema com tais características no âmbito do SISP;
  • algumas ações isoladas por parte de instituições integrantes do SISP estão em desenvolvimento, com objetivos semelhantes ou relacionados de alguma forma aos acima descritos;
  • existem diversas ferramentas que implementam tecnologias e metodologias que supostamente atenderiam aos objetivos acima elencados – notadamente de construção de Workflow, BPM e BPMS;
  • é possível que existam opções comerciais de sistemas que se aproximem em menor ou maior grau aos objetivos e premissas aqui relatados.

Assim, o NCTI, com o intuito de fazer uma prospecção junto aos órgãos do SISP, realizou, em 2011, um projeto de análise do cenário atual e definição de estratégias e táticas na busca da melhor solução, projeto que foi batizado de “Diagnóstico para Automação do MCTI”.

Este projeto contou com a participação de servidores com experiência no assunto e teve a  finalidade é produzir um relatório de diagnóstico sobre a melhor forma de implantar uma solução para automatizar o processo descrito pelo MCTI.

Em 2015 a Secretaria de Tecnologia da Informação – STI realizou um trabalho inicial de levantamento de Arquitetura da Informação do SISP visando subsidiar o desenvolvimento de uma solução de TIC para facilitar o atendimento e apoiar os órgãos e entidades que integram o SISP de forma mais estruturada, a fim de atender às demandas atuais e futuras.

Nesse sentido iniciou-se, no âmbito da STI, o projeto de um Sistema Transversal que disponibilize as informações e serviços do SISP de forma estruturada e organizada.

Com o intuito de disponibilizar um ambiente coeso e centralizado, em 2016 será iniciado o desenvolvimento do Sistema Estruturante para o SISP, o SI-SISP. Neste novo contexto, o projeto de automatização do MCTI está contemplado no SI-SISP e integrará o projeto que está em fase de levantamento de requisitos.